O QUE VOCÊ ESTÁ PROCURANDO?

CAMPO BOM

HISTÓRIA

Seus primeiros habitantes foram os índios Coroados e Minuanos. A colonização por imigrantes europeus começou em 1814, quando Antônio Borges de Almeida Leães e Maria Angélica Velles receberam do governo imperial sesmarias junto ao Rio do Sinos. A área das sesmarias abrangiam o atual território do município , que servia na época de passagem para tropeiros de gado que vinham dos campos de cima da serra(são francisco e vacaria) em direção á capital da província. Estes paravam no local para descansar. É justamente á esses tropeiros que é atribuído a denominação do atual nome do município. O local era abundante em água e pasto, parada obrigatória dos tropeiros, que referiam-se á ele como Campo Bom.

Em 1824 instalou-se a colônia alemã em São Leopoldo. Um ano mais tarde(1825) desembarcaram os primeiros imigrantes germânicos no Porto Blos, vindos de São Leopoldo pelo Rio do Sinos. No total foram 26 famílias.

A partir da chegada dos alemães, a trajetória de campo bom é descrita em três etapa distintas. A primeira é a etapa colonial, que dura cem anos, até 1926, quando a colônia é elevada á vila, tornando-se o 2° distrito de São Leopoldo. Nesse período foi construído o cemitério evangélico, em 1826, hoje localizado na Avenida Brasil, ao lado da Igreja Católica.

Em 1828, num terreno doado pelo imigrante Johann Peter Hirt, foi construído em frente ao cemitério evangélico uma capela de madeira, que veio á ser a primeira igreja evangélica do sul do país, já em 1851 foi erguida uma estrutura de pedra na qual foram celebradas missas até o seu desativamento em 1976. Hoje em dia, a construção da antiga capela avança sobre a calçada da Avenida Brasil, e é o símbolo do patrimônio histórico de campo bom. Também no período colonial houve a participação de colonos Campobonenses na revolução farroupilha (1835/1845), a inauguração da navegação á vapor(1852), ligando campo bom á porto alegre, e a fundação da empresa Vetter & Cia., curtume e primeira fábrica de calçados de campo bom (1890). Nessa época surgiram ainda as olarias e a linha férrea de canela (1903), que passava pelo município, estes foram fundamentais para a ascensão da economia local.

A segunda fase da história de campo bom é a transição, quando a partir de 1927, o então distrito Leopoldense começa a deixar de ter uma economia essencialmente agrícola. Há um fluxo migratório e começam á surgir profissionais liberais. Campo Bom começa á ganhar uma estrutura de cidade, em 1933 com uma linha de ônibus intermunicipal , em 1935 com um cinema e a inauguração da estação férrea (onde hoje funciona a biblioteca municipal), inauguração de novas fábricas, e em 1947 com a construção do hospital beneficiente de campo bom Lauro Réus.

A terceira fase é a fase de urbanização que vai até os dias atuais. Ela começa em 1950, quando se fortalece a indústria de transformação e a população cresce significativamente, as ruas começam á ser pavimentadas, também á um desenvolvimento sócio-econômico, que torna a localidade apta á reivindicar sua emancipação, que veio em 31 de janeiro de 1959.

De novembro á dezembro de 1961, o município promoveu a 1° Festa Nacional do Calçado, mais tarde esse fato daria origem á Festa Nacional do Calçado(Fenac) em Novo Hamburgo. Já em 1967, o empresário Cláudio Strassburguer começou á vender calçado para o mercado Inglês, tornando Campo Bom a primeira cidade do Brasil á exportar calçado.

Os pioneirismos são marca registrada de Campo Bom, em 1977 o município teve o privilégio de ser pioneiro novamente, desta vez com a construção da primeira ciclovia da América Latina, uma via pública especial para ciclistas, com 18 quilômetros de extensão, permitindo deslocamento de bicicleta do centro aos bairros da cidade. Hoje em dia a obra é muito utilizada pela comunidade para fazer caminhadas ao longo do seu percurso.

Em 2004 foi construído o largo Irmãos Vetter, que conta com uma torre-mirante, chafarizes com iluminação artística, palco para shows, monumentos históricos, entre outros atrativos, uma grande homenagem á história do município e de seus habitantes.

Em 2008 foi construído o Centro de Educação Integrada (CEI), que abrange além de uma moderna escola, um complexo cultural com biblioteca, salas de cinema, teatro, anfiteatro ao ar livre e escola de arte-educação e o complexo esportivo com ginásio poliesportivo, quadras cobertas, quadras de areia e piscina.

Estes, e diversos outros acontecimentos, deram ao município seu aspecto atual.